Quarta-feira, 15 de Agosto de 2007

Esta noite...

 

 

Esta noite os nossos corpos fundiram-se, esta noite fizemos amor…

 

Estava eu deitado na nossa cama já quase a dormir, vencido pelo cansaço de mais um dia.

Tu entraste no quarto silenciosamente… às escuras para não me acordar.

 

 

Senti a tua presença, abri os olhos por entre a almofada e os lençóis para te ver.


Aproximaste-te de mim… devagar e a sorrir, puseste o teu cabelo para trás, e sentaste-te na cama ao meu lado.


Passastes as tuas mãos no meu rosto, contornando-o suavemente, agarraste e puxaste o meu pescoço… com os teus olhos fixos nos meus, vi no teu olhar o desejo, esse olhar que me deixa doido, que me deixa excitado, esse olhar que não é preciso falares, de seguida fechastes os olhos, entreabristes os lábios e num gesto suave e lento, guiastes-me até eles, e beijaste-me como nunca, um beijo forte, um beijo sentido, um beijo prolongado por beijinhos no meu rosto, e umas mordidelas no meu pescoço terminando com umas lambidelas nas orelhas, o que me deixa completamente louco, e tu sabes… 

 

Continuastes a percorrer com as mãos o meu corpo, abraçaste-me com tanta força que senti o teu corpo a esmagar-se contra o meu…senti os teus seios contra o meu peito, os teus mamilos a ficarem duros de prazer, as tuas mãos a transpirarem, o teu coração a acelerar, senti-te leve, senti-te a voar, senti-te dominada… 


Foi nesse momento que te agarrei e te deitei na cama… num gesto rápido tirei-te a roupa que vestias mandando-a para o chão, de seguida fizestes-me o mesmo, enquanto eu já te beijava, te acariciava o corpo, apalpava, beijava, mordia, lambia os teus seios os teus mamilos, as minhas mãos passeiam por todo o teu corpo, ouvia gemidos de prazer,  ao ouvido sussurravas palavras  de amor, acompanhadas de mais umas mordidelas, começamos a perder o controlo dos nossos actos, entregando-nos um ou outro, deixando as coisas acontecerem...

 

Os nossos corpos fundiram-se...    

  


O amor que nos consumia o corpo e a alma foi satisfeito…

 

 

 

 

 

 


publicado por George às 23:07
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De NiA a 18 de Agosto de 2007 às 21:08
Adoro o que escreves...

Mostra sentimento puro.

Essa mulher de quem falas é uma mulher com sorte por ter alguém assim tão apaixonado por ela.

Voltarei.

Beijo


De George a 19 de Agosto de 2007 às 17:23
Obrigada.

Sim é verdade, é uma mulher com muita sorte.

Tudo o que está aqui escrito é sentido, é verdade.

Espero que ela sinta a sorte que tem...

Beijo


De Nefertiti a 10 de Janeiro de 2009 às 15:53
Quem me dera ter assim um homem, que me amasse de verdade.
É lindo o que escreves e como escreves.


Comentar post

Internacional

Locations of visitors to this page

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Estou...

Saudade...

Faz-me feliz.

Saudades de fazer amor.

O dia mais triste da minh...

Como é bom...

Dependência...

A Vida...

Não morri...

Estou aqui...

Perdi o medo...

Esta noite...

Obrigado...

Não digas nada...

À tua espera...

Tudo mudou...

Sei que um dia fostes min...

Um pedido de desculpas.

O começo...

O que ficou para trás

Dezembro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Os que gosto de ler

No aR...

Nota:

Todas as fotos aqui colocadas foram retiradas da net.

Já passaram por aqui...

Os que me adicionaram..

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!